CBF dá ultimato ao Remo

19/02/2009

A Confederação Brasileira de Futebol deve comunicar oficialmente o Remo amanhã a respeito da denúncia do clube ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva. O motivo é uma ação civil pública movida por defensores públicos paraenses, com o objetivo de salvar o Remo do rebaixamento à série D. Caso a ação não seja retirada, o Leão pode ser suspensos de todas as competições promovidas pela CBF.

 

A ação foi proposta pelos defensores públicos Alexandre Bastos e Vladimir Pereira Koenig em outubro do ano passado. Eles pedem a suspensão do campeonato brasileiro da série D este ano e ainda a inclusão do campeão e do vice-campeão paraense na terceirona. Segundo os defensores, a CBF desrespeitou regras previstas no Estatuto do Torcedor. A nova competição (com seus critérios de acesso e descenso) foi criada durante a realização do campeonato de 2008.

 

A ameaça da CBF ao Remo não deve ir às últimas conseqüências, mas não chega a ser uma bravata. Uma coisa é fato: a Copa João Havelange de 2000 foi o marco do fim das viradas de mesa baseadas em recursos de clubes na Justiça comum. Na última década, sete campeões brasileiros foram rebaixados para a segundona e tiveram que subir de volta no campo. Portanto, o melhor é economizar os honorários dos advogados e poupar os esforços e preocupação. Problema é o que já não falta.