Da várzea para a Gávea

aleílson

Até bem pouco tempo atrás, Aleílson trabalhava numa fábrica de vassouras e rodos em Marabá. Na tarde desta segunda-feira, ele treinou pela primeira vez com a camisa do Flamengo. Deu voltas em torno do gramado da Gávea ao lado de Adriano, que disputava uma Copa do Mundo e os badalados campeonatos europeus enquanto Aleílson levava a dura rotina de operário. É o exemplo de que o futebol também produz fábulas fantásticas.

Aleílson se destacou na série C do ano passado por motivos paradoxais. Foi o artilheiro do Águia na competição, mas para cada gol marcado, perdia outros dez em cada jogo. Por isso, nunca foi unanimidade na imprensa esportiva paraense. Na Copa do Brasil deste ano, o ex-operário teve a estrela de aparecer no lugar certo na hora certa. Logo no primeiro minuto do jogo contra o Fluminense em Belém, Aleílson arrancou em direção à área tricolor e mandou um chutaço no fundo do barbante. Na frente do Parreira, sob os olhos de alguns milhões de pessoas que assistiam ao jogo pela TV Globo.

Não demorou e o nosso herói pegou um belo bonde na carreira. E, pouco tempo depois de pensar em desistir do futebol, Aleílson escancara as portas dos grandes clubes. Resta saber se ele terá espaço no time e se vai deixar de lado a fama de pé-torto.

Bonus track

Travinha publica como apêndice sobre o agora rubro-negro Aleílson um texto feito por Weliton Moreira, repórter da TV Livre de Marabá e colaborador do blog na região sudeste do Pará.

O jogador Aleilson, 23 anos, atacante destaque do Águia na Copa do Brasil, foi contratado pelo time de maior torcida no Brasil, o Flamengo. O jogador que teve uma vida dificil na sua infância, vindo de uma famiia pobre no Bairro Morada Nova em Marabá, começou a jogar em campos de várzea, onde fazia muitos gols.

Aleilson foi artilheiro do futebol amador de Marabá em várias oportundades. Ele já se destacava pela velocidade com arranques fulminantes em direção ao gol e era sempre habilidoso. Foi chamado para fazer parte do Águia depois que o time que iria disputar o Campeonato Paraense em 2006, fez um amistoso em Morada Nova e Aleilson foi o destaque, marcando um gol contra o Azulão.

Aleilson por duas vezes pensou em desistir de jogar futebol. Quando foi chamado para o Águia a primeira vez, não aceitou por que queria continuar trabalhando em uma fábrica de vassouras, onde de lá, tirava o sustento de sua familia. Ele temia perder o emprego.

A segunda tentativa de desistência se deu poucos dias atrás, quando pediu para o Presidente do Águia, Ferreirinha, conseguir um emprego para ele em uma empresa de peças de tratores de Marabá. Aleilson disse que queria parar de jogar futebol devido às criticas que vinha recebendo de torcedores, pelos muitos gols perdidos. Ele mais uma vez pensou nos filhos e queria trabalhar, mesmo em serviço pesado carregando ferros.

O técnico João Galvão foi decisivo para que o atleta não desistisse de sua carreira. Dias depois, o telefone tocou e um grupo de empresários levou Aleilson para o Rio de Janeiro, acompanhado do Presidente do Águia, Ferreirinha e do Técnico, João Galvão, onde juntos ficaram impressionados com a surpresa: O interesse no jogador era do Clube de Regatas Flamengo, onde Aleilsom, mesmo pensando em desistir de jogar futebol, jamais imaginaria que pudesse chegar um dia…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: