Remo vence o Re-Pa 700

Alguém precisa arrumar as estatísticas de internações em UTIs cardiológicas do Pará neste domingo. O herói que conseguir esse número certamente vai encontrar um recorde absoluto na história hospitalar do estado. Porque, me perdoem o clichê, o Re-Pa 700 foi de arrebentar átrios, ventrículos e sistemas circulatórios completos.

 

Antes do jogo, os analistas cartesianos do futebol cravariam palpites secos no Paysandu. O Papão tem um time superior, tem a melhor campanha, o Remo tinha acabado de sofrer uma derrota para o Flamengo batendo uma bolinha vexatória… E o Bicola ainda jogava pelo empate. Bastava jogar o feijão com arroz para segurar qualquer ímpeto dos remistas.

 

Só que um jogo de futebol não se ganha com logaritmos, regras de três e nem fórmulas mirabolantes. É preciso mais coração do que lógica. E foi isso que o Remo colocou em prática desde o primeiro minuto de jogo. Na base do abafa, o Leão abriu o placar com menos de 10 minutos de bola rolando. E numa partida impecável dos zagueiros Rogério Corrêa e Márcio Pereira, superou toda a pressão que tomou do Paysandu no primeiro tempo. Era chutão prum lado, cabeçada pro outro… Como tem que ser. E o Remo ainda fez 2×0 no finalzinho da primeira etapa com um gol de pênalti.

 

No segundo tempo, o Paysandu continuou botando sufoco. E quase se deu bem numa confusão sem precedentes criada pelo árbitro gaúcho Leandro Vuaden. Num lançamento para o ataque do Bicola, Zé Augusto recebeu a bola em impedimento depois que o zagueiro remista Rogério Corrêa tocou com a mão. Na hora, o juiz apitou marcando pênalti. Depois de consultar o bandeirinha, voltou atrás e marcou impedimento. Aí o bate-boca aumentou. Inseguro, o homem do apito voltou ao auxiliar e mudou de opinião novamente: assinalou o penal a favor do Paysandu. Só para dramatizar ainda mais a história, Rossini chutou na trave.

 

O quiproquó acabou rendendo cinco minutos de acréscimo no fim do jogo. Logo aos 46, Reinaldo marcou o gol de honra do Paysandu e fez com que os remistas temessem a eliminação no campeonato estadual e o fracasso na conquista de uma vaga para a série D do brasileiro. Foram quatro minutos de ecocardiogramas batendo no teto, e o Papão acabou ficando só no quase.

 

O Remo vai decidir o segundo turno do Parazão com o São Raimundo, que venceu o Águia por 3×2. O primeiro jogo é no dia 19 em Belém. O segundo, no dia 26 em Santarém. O vencedor pega o Paysandu na decisão do campeonato, nos dias 3 e 10 de maio.

Anúncios

One Response to Remo vence o Re-Pa 700

  1. RENATO disse:

    esse jogo foi vergonhoso, marmelada pura, o Paysandu estava jogando um amistoso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: