Quanto vale o show?

gol-tatu

 

O jogador entra na grande área, dribla o goleiro e tem a imensidão da trave à sua frente. Se der um toque sutil, faz apenas um gol como muitos outros que já foram feitos. Se resolve usar a criatividade, lança polêmica.

 

Alex Sandro, do Paysandu, escolheu a alternativa B. A semifinal desta quinta-feira contra o Castanhal (6×4 para o Papão) já foi um jogão por si só. Mas o lateral-direito bicolor queria mais. No fim do primeiro tempo, passou pelo goleiro Alencar Baú e, em vez de chutar, mergulhou no gramado para fazer uma graça ao marcar o gol.

 

Os jogadores do Castanhal não gostaram da presepada. O árbitro deu cartão amarelo para Alex Sandro. Falou-se em soberba, em desrespeito ao adversário… Mas se a torcida gostou, quem vai discutir?

 

O gol de Alex Sandro faz lembrar de um episódio envolvendo o grande Alcino, ídolo do Remo nos anos 70, que sentou na bola em cima da linha depois de driblar o goleiro adversário num clássico contra o Paysandu. Além disso, reaviva um gol de Túlio Maravilha na Libertadores de 96. O então atacante do Botafogo também parou em cima da linha, mas fez um gol de calcanhar contra a Universidad de Chile.

 

Jorge Ben, em “Fio Maravilha”, diz que não entrar com bola e tudo depois de driblar o goleiro é uma questão de humildade. Há quem diga que são esses momentos que dão sabor ao futebol.

 

E você? O que acha? Sua opinião cabe no espaço dos comentários aí embaixo.

Anúncios

2 Responses to Quanto vale o show?

  1. Raphael Pinheiro disse:

    Não posso dizer que apóio incondicionalmente – até porque é o tipo de lance raro de acontecer. Mas o juiz não deveria, em hipótese alguma, dar cartão amarelo nesse caso. Não tem cabimento, é como o famigerado cartão por tirar a camisa na comemoração. A torcida tem o direito de comemorar e o adversário tem o direito de se aborrecer, mas que tal se abolíssemos as enterradas do basquete? O futebol está ficando cada vez mais demagogo e chato, com esse tipo de represália.

  2. Pedrox disse:

    Esse tipo de coisa é que faz do futebol um esporte único e apaixonante. O juíz que dá cartão amarelo numa jogada dessas merece um belo cartão vermelho. Sem dúvida este foi o jogo do ano do futebol paraense. Tomara que as próximas rodadas e o resto do ano me desmintam.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: